Servidor no Azure

SERVIDOR NO AZURE

Os custos e as dores de cabeça para a manutenção constante de servidores locais não compensam. Veja por quê!

Ao optar por um servidor local sua empresa necessariamente precisa de uma equipe de infraestrutura dedicada para gerenciá-lo. Além disso, precisa de um local para mantê-lo em uma temperatura controlada e com acesso restrito para “tentar” garantir a segurança das informações.

Assim como todas as máquinas, os servidores locais geram contratempos, ficam obsoletos e estão suscetíveis a longas instabilidades. Em caso de quedas de energia, por exemplo, simplesmente deixam de funcionar e não tem para onde recorrer. Agora imagina em um incêndio ou em outra tragédia?

O servidor na nuvem supre tudo isso de forma muito mais efetiva, possibilita que você foque no seu negócio e ainda reduza custos!

Com a nuvem é possível escalonar rapidamente a capacidade da sua máquina para mais e para menos, conforme a sua demanda e em minutos. Você tem a vantagem de pagar pelo espaço que você usa ao invés de investir em servidores físicos onerosos e que normalmente parte deles ficam ociosos. E com relação a disponibilidade e segurança você nem precisa se preocupar.

Venho por meio deste parabenizar o ótimo trabalho prestado pela SGA. Estávamos com os seguintes problemas no AZURE: banco de dados, envio de e-mail e disponibilidade de acesso ao software, e tornando parceiro da SGA tivemos estas situações resolvidas. Hoje consigo com segurança e agilidade fornecer para meu cliente um ótimo serviço.
Normalmente este trabalho de migração, software e bancos são traumáticos, mas com o apoio e suporte dado pela SGA foi tudo muito rápido e com 1 dia o meu ambiente já estava montado.

Leia o Case completo.

Kleyton Miranda Ferreira

Gerente de Produto , Sodep

Por que migrar para a nuvem?

  • Economia: Modelo de preços flexível, baseado no consumo. Reinvestimento do recurso financeiro destinado para CAPEX. Aumento no indicador de ROIC;
  • Elasticidade: Possibilita ampliar o uso da infraestrutura de TI e depois retroceder de acordo com a sua necessidade atual;
  • Agilidade: Provisione nova infraestrutura em minutos em vez de em dias, semanas ou meses;
  • Gerenciamento simplificado e disponibilidade garantida de 99,9%;
  • Atualização tecnológica sem investimento: Infraestrutura sempre atualizada (não deprecia);
  • Plataforma segura e durável com auditorias e certificações reconhecidas pelo setor.

Em cloud computing, a pergunta deixou de ser “devo migrar para a nuvem?” e tornou-se “quando e qual a melhor maneira de migrar?

Estudos do Gartner apontam que em 2017 os investimentos das empresas brasileiras em Cloud devem chegar a US$ 4,5 bilhões, e até 2020 devem atingir US$ 20 bilhões. A nuvem será uma escolha natural de mais de 50% dos empresários ao redor do mundo.

A Forrester Research estima que o mercado global de nuvem está se expandindo a uma taxa de crescimento anual de 22% e deverá atingir US$ 146 bilhões até o final de 2017.  E as previsões são as de que atinja US$ 236 bilhões até 2020. IaaS e PaaS devem ser um mercado de US$ 32 bilhões em 2017, crescendo 35% ao ano.

Um outro levantamento de 2017, dessa vez realizado pela IDC afirma que, até 2020, 67% da infraestrutura e software de uma empresa serão voltados para ofertas baseadas em tecnologias de Nuvem.

Por que o Azure?

  • 85% das empresas Fortune 500 usam. São mais de 120.000 assinaturas por mês;
  • São mais de US$15 bilhões investidos em geo-expansão para executar aplicativos e garantir que os clientes sempre obtenham um excelente desempenho;
  • IaaS + PaaS: Única plataforma de nuvem classificada pelo Gartner como líder da indústria tanto para IaaS (Infraestrutura como um Serviço) e PaaS (Plataforma como um Serviço);
  • Habilitado para criações híbridas: Oferece o melhor de dois mundos, nuvem pública e privada, expandindo suas opções de TI sem elevar a complexidade;
  • Aberto e flexível: O Azure dá suporte a qualquer sistema operacional, idioma, ferramenta e estrutura, desde o Windows até o Linux, do SQL Server ao Oracle e do C# ao Java;
  • Econômico e dimensionável: Pode ser dimensionado ou reduzido rapidamente para acompanhar a demanda, por isso você somente paga pelo que usar;
  • Está em todo lugar: É executado em 22 regiões do mundo, mais países e regiões do que os do Amazon Web Services e Google Cloud combinados. Está disponível em 140 países, incluindo a China;
  • Segurança: A Microsoft foi o primeiro provedor de nuvem reconhecido pelas autoridades de proteção de dados da União Europeia. A primeira que adotou o novo padrão de privacidade de nuvem internacional, ISO 27018. Lançou também o Azure Government, uma versão autônoma do Azure projetada para atender as exigências rigorosas de conformidades das agências públicas do EUA.