Gestão de TI Jornada para a Nuvem

Cloud Computing: 4 erros para evitar ao implementar!

cloud computing

É fato que o cloud computing (computação em nuvem) vem ganhando crescente popularidade e credibilidade. Isso não apenas por ser uma tendência, mas sim por apresentar diferenciais incríveis quando comparado à computação tradicional. Como, por exemplo, a facilidade de acesso, redução de custos e maior segurança.

Todavia, muitas empresas e profissionais se esquecem de requisitos importantes a serem considerados no processo de migração ou implantação de sistemas em uma infraestrutura em nuvem.

Neste post, vamos conhecer alguns dos principais erros cometidos nesse momento, que servem de alerta para todos que desejam migrar seus sistemas ou implantar novas soluções em cloud computing. Confira!

1. Falta de planejamento

Planejamento é a base para o sucesso de qualquer empreendimento. Portanto, quando se trata de implantar soluções em Cloud Computing, um erro comum é a falta de planejamento.

Parte do planejamento está em considerar o tipo de serviço de nuvem, que pode ser:

  • privado (destinado ao uso de apenas uma empresa);
  • público (destinado ao uso comum de várias empresas);
  • e híbrido, que mescla os dois tipos.

Acima de tudo, tenha também em mente que planejar um treinamento para a equipe interna, além de mudanças jurídicas, comerciais e financeiras, são pontos que não podem ser desconsiderados.

2. Não dimensionar recursos

A nuvem confere muita flexibilidade na contratação de serviços. Em vista disso, é perfeitamente possível aumentar ou diminuir a memória ou o espaço em disco do servidor conforme a necessidade e você só pagará pelo que usar.

Sendo assim, é preciso dimensionar corretamente qual a necessidade inicial de recursos em nuvem e ir aumentando conforme necessário, evitando-se uma contratação além do previsto.

Para não cair nesse erro, procure ter uma visão:

  • da quantidade de usuários que utilizarão o sistema;
  • do número de requisições;
  • do tamanho da base de dados e perspectiva de crescimento;
  • da quantidade de espaço em disco inicial necessária;
  • entre outros fatores.

3. Desconsiderar a importância da segurança

Certamente, para a TI corporativa, uma das áreas de maior relevância é a segurança. A informação se tornou parte do patrimônio empresarial, e as organizações entenderam a importância de proteger seus dados sensíveis.

Deste modo, quando ocorre a implantação de uma solução de software em nuvem, os dados empresariais confidenciais migram para um servidor em uma infraestrutura de terceiros e são acessados por um software por meio da internet. Dados esses que muitas vezes estavam alocados fisicamente em servidores do parque tecnológico de uma empresa.

Inclusive, quando se trata da venda de um software como serviço (conhecido como SaaS, Software as a Service), os dados dos clientes também deverão ser acessados pela internet e precisam estar seguros.

Sobretudo, um erro comum de muitas implementações em nuvem é não considerar a importância da segurança. Para evitar esse problema, é importante escolher um fornecedor de infraestrutura de nuvem que tenha implementado pré-requisitos de segurança em seus servidores.

Entretanto, vale lembrar que, além do fornecedor, a principal responsabilidade pela segurança dos dados permanece com a empresa que está disponibilizando o software em nuvem.

Outro fator a ser considerado é garantir que o software foi projetado com o mínimo de estratégias de segurança para softwares na nuvem, como bloqueio a SQL Injection, XSS, dentre outros ataques comuns.

4. Não desenvolver um plano de contingência

Portanto, se preparar para possíveis instabilidades do serviço de nuvem, ataques cibernéticos ou manutenções emergenciais é imprescindível. Para isso, criar um plano de contingência bem feito juntamente com uma proteção jurídica contratual que prevê possibilidade de falhas, garante que tudo estará previsto com antecedência.

Assim sendo, a análise do SLA (Service Level Agreement ou acordo de nível de serviço) do fornecedor dos serviços em nuvem é extremamente necessária. Infelizmente, esses pontos são esquecidos por quem contrata serviços em nuvem. Um erro grave!

É fato que o brilho do Cloud Computing não pode ser ofuscado por esses erros. O melhor caminho é evitá-los e garantir todo o potencial da computação na nuvem. Além disso, somar boas práticas e a uma gestão de TI madura, consciente e profissional.

Que tal deixar a sua opinião e experiências sobre o assunto? Escreva o seu comentário!