Segurança

Ambientes cloud: 8 mitos sobre segurança que você deve saber

ambientes-cloud-8-mitos-sobre-seguranca-que-voce-deve-saber-1024x534

Os anos passam, os serviços de nuvem se consolidam no mercado, mas alguns velhos conceitos continuam assombrando a mente de gerentes e outros profissionais de TI.

Novas formas de lidar com a operação de uma empresa sempre trazem desconfiança e o principal deles tem a ver com a segurança dos dados. Para resolver de vez todas as suas preocupações, vamos desvendar, no artigo de hoje, 8 mitos sobre ambientes cloud.

Confira!

1. Ambientes cloud são mais vulneráveis que data centers próprios

Faz sentido que esse seja o mito mais disseminado sobre a segurança nos serviços de nuvem, pois é a lógica intuitiva que leva muitos profissionais ao erro. Se os dados da empresa estão confinados em um armazenamento interno, acessado por softwares instalados localmente, eles estão mais protegidos contra ataques externos. Certo?

Não necessariamente. É possível que eles estejam ainda mais vulneráveis. Não existe sistema infalível contra invasões, ataques e injeção de softwares mal-intencionados. A segurança nesse caso é medida pela capacidade de monitoramento, de proteção e de ações rápidas de contenção.

Sua equipe pode ter todo um sistema, com operação própria e funcionários responsáveis para cuidar do seu data center, entre outras funções — bons ambientes cloud têm equipes especializadas e dedicadas à segurança. Essa diferença é crucial na resposta a incidentes.

2. Na nuvem, uma empresa está mais suscetível à perda de dados

Quando se fala em nuvem, alguns profissionais desconfiados de TI levam a solução bem mais ao pé da letra que deveriam: eles imaginam que em um sopro todos os dados se perdem.

A verdade é que, quando armazenados localmente, informações vitais para a empresa estão ainda mais sujeitas a uma exclusão acidental. Como exemplos mais comuns:

  • um funcionário desavisado;
  • uma queda de energia;
  • ou pela perda de uma versão importante de um arquivo depois que alguém salva a nova por cima.

Se a rotina de backup não for muito bem monitorada, esse é um perigo iminente em data centers próprios.

Já em serviços de nuvem, os backups são geralmente automatizados. Além disso, o provedor conta com sistemas redundantes para proteger os dados e armazenar históricos de modificações.

3. O provedor tem acesso aos dados do cliente

Outro mito comum diz respeito à ideia de que não há privacidade na nuvem. A verdade é que a segurança e a política de privacidade do provedor estão diretamente ligadas aos termos do contrato de prestação de serviço.

Ao contratar serviços sérios e de qualidade, a cláusula de confidencialidade impede que qualquer pessoa não autorizada acesse, leia ou edite arquivos da empresa. Portanto, como toda terceirização, é importante pesquisar referências e condições.

Lembre-se de que compliance não é garantia de qualidade, embora esse seja um excelente indicador. Muitos provedores adaptam serviços apenas para as auditorias. Por isso, fique de olho.

4. Clientes que dividem a mesma estrutura podem acessar dados do cliente

Para reduzir custos, é comum que empresas contratem nuvens públicas, nas quais um servidor abriga os dados de vários clientes e divide recursos de computação entre eles. Apesar de estarem fisicamente ocupando o mesmo espaço, não é possível que um contratante acesse informações de outro.

Camadas de virtualização não são simples de serem transpostas e existem poucos relatos sobre isso no mundo. Claro, além de se preocuparem com os ataques externos, os bons provedores têm também profissionais preparados para lidar com essa separação.

5. O cliente não pode definir onde seus dados estão armazenados

Não, seus dados não vão parar em um data center em Singapura. Só se você quiser. Serviços que fornecem ambientes cloud apresentam a localização de sua estrutura e está nas mãos do cliente escolher onde os dados ficarão baseados.

A importância dessa escolha, além da velocidade de acesso aos arquivos, é manter informações sigilosas e pessoais em países onde seu armazenamento esteja de acordo com as leis locais.

6. É muito difícil migrar entre serviços de cloud computing

Talvez você se lembre com uma ponta de raiva do início da portabilidade de números de celulares no Brasil. Uma lei apressada com um sistema despreparado transformaram o assunto portabilidade em sinônimo de dor de cabeça para qualquer tipo de situação.

Você não precisa carregar esse preconceito em ambientes cloud. A migração de dados entre planos ou até provedores diferentes é geralmente tranquila, rápida e todo o processo fica por conta do contratado.

O único problema que pode surgir é a incompatibilidade de ferramentas de virtualização ou softwares, mas essas são questões pontuais. Mesmo que demorem para ser solucionadas, elas não obstruem a operação da sua empresa.

7. Ambientes cloud substituem empregos

Esse é um mito sobre segurança de dados e de segurança profissional. A automatização de processos em ambientes cloud muitas vezes é associada com a diminuição de cargos e a perda do controle intelectual sobre informações importantes.

A verdade é que o cloud computing ajuda a aprimorar nas duas pontas. Ele cria novos cargos mais especializados para lidar principalmente com automação e segurança, ao mesmo tempo em que diminui o risco de brechas causadas por falha humana.

8. Serviços de nuvem são caros

Sim, os grandes mitos sobre a nuvem também estão atrelados ao seu custo. Por que gastar em uma solução se eu posso investir internamente em segurança e resolver o problema? Essa é uma dúvida gerada pela falta de uma visão mais abrangente da operação de TI em uma empresa.

É possível investir para economizar e ainda tornar mais seguro o seu sistema. Isso acontece primeiramente porque o custo de um provedor de cloud computing é adequado à sua demanda. Se sua prioridade é segurança, você pode contratar um plano com menos recursos, mas que te ofereça mais suporte.

Caso contrário, você pode aliviar na proteção e aumentar o armazenamento ou capacidade de computação. No entanto, a nuvem é, principalmente, uma forma de economizar em otimização da produtividade do time de TI.

Ao usar cloud computing, sua equipe não fica presa a vários pequenos processos de manutenção e proteção, podendo focar as horas de trabalho em operação, análise e aumento de performance.

Você já deve sentir na pele o quanto as horas extras podem fazer toda a diferença para a sua empresa, certo?

A segurança de dados corporativos pode ser medida pelo preparo da equipe, equipamentos atualizados e dedicação a processos específicos. Por mais capaz que sejam os profissionais da sua empresa, dificilmente você conseguirá equiparar o esforço deles a um provedor exclusivo de ambientes cloud.

Então, que tal começar a pesquisar o melhor serviço para você? Entre em contato conosco agora e nós conversaremos sobre a solução perfeita para a sua empresa!