Jornada para a Nuvem

Seu Datacenter está sem garantia? Entenda como a Nuvem pode ajudar

Você sabe o que é depreciação de hardware e como ela pode afetar a sua empresa? A maioria dos negócios precisa comprar algum tipo de equipamento durável para operar. E todo equipamento que dura mais de um ano é chamado de imobilizado. Esse tipo de ativo auxilia na geração de receita ao longo do tempo.

Hardware é uma propriedade dessa natureza e contribui a longo prazo, precisando ser tratado, portanto, de forma diferente do que outras despesas comerciais. De fato, hoje você vai entender como o seu preço de compra é fatorado ao longo dos anos, no processo conhecido como depreciação e o que cloud computing tem a ver com isso?

Muitas empresas atualmente já nascem sem ter um único servidor físico próprio. Tudo já está armazenado na nuvem, em algum Data Center global, sendo replicado em outra localidade física. Vamos lhe mostrar, por A + B, que a migração para a nuvem pode ajudar a poupar uma quantidade significativa de dinheiro. Então continue a leitura para sanar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O que é depreciação de hardware?

A depreciação de hardware pode ser entendida das seguintes maneiras:

  • como uma queda no valor de mercado de um ativo, devido ao desgaste ou a obsolescência;
  • como uma forma de recuperar o custo de um ativo por meio de deduções fiscais;
  • como um meio de alocar uma parcela do custo de um ativo fixo para cada período em que o ativo gerar receita.

Portanto, quando você compra itens que são usados para operar o seu negócio, como equipamentos de computador, você atribui a eles uma despesa. A depreciação permite que uma parte do custo de um ativo fixo seja amortizada pela receita gerada pelo ativo fixo.

Por exemplo, você adquire um servidor por R$10.000,00 para usá-lo por cinco anos. Portanto, o seu custo de anual é de R$2.000,00 ao ano.

Como cloud computing pode ajudar?

Se você nunca lidou com contabilidade isso pode parecer estranho, mas nem todo o dinheiro é contado da mesma forma pelo negócio. O primeiro conceito que precisamos entender quando estamos falando de orçamentos internos é Capex ou despesas de capital. Este, diz respeito a todo o dinheiro gasto para adquirir coisas tangíveis, como o servidor do exemplo anterior ou uma matriz de armazenamento.

Enquanto a empresa paga pelo equipamento com dinheiro real, ela não contabiliza aquela compra imediatamente em seus livros. Ela usa o instrumento que citamos no tópico anterior, a depreciação, que combina o custo do ativo quando ele é realmente usado e a parcela da despesa anual (novamente, de maneira idêntica ao exemplo anterior).

Cloud computing, por sua vez, é uma despesa operacional, ou Opex. Ao migrar seus servidores e serviços para lá, a sua empresa está poupando porque deduz o dinheiro que gastou do ano corrente, abatendo diretamente em seu imposto de renda atual, cobrado sobre o lucro líquido.

Capex é capitalizado e amortizado ao longo da vida do ativo, enquanto Opex, não. O segundo regime torna as empresas economicamente viáveis e muito mais enxutas do ponto de vista da contabilidade.

Por que migrar para a nuvem?

Mas não é só o fato de ser economicamente viável que faz da cloud computing vantajosa. Você poderá tornar o seu pessoal mais produtivo, aumentar o desempenho da sua equipe, diminuir os atrasos nas entregas, dar flexibilidade ao acesso dos principais arquivos de trabalho da sua empresa e eliminar a dependência de máquinas específicas. Esse último critério é especialmente válido quando o assunto é reduzir a depreciação de hardware.

Outro motivo para migrar é a inexistência de ciclos de refresh na nuvem, o que significa que a sua empresa sempre terá acesso à última tecnologia disponível sem a necessidade de atualizar seu parque tecnológico com frequência.

Agora que você já sabe tudo sobre depreciação de hardware e como cloud computing pode ajudar, que tal continuar aprendendo? Siga a SGA Tecnologia nas redes sociais e acompanhe o melhor do nosso conteúdo. Estamos no Facebook, LinkedIn e Youtube!